Trends

Concorso d’Eleganza Villa d’Este

A Sinfonia dos motores do exclusivo concurso Villa d’Este 

As margens do Lago Como, em Itália, voltaram a ser testemunha da beleza do Concorso d'Eleganza Villa d’Este. Ao som da "Sinfonia dos Motores”, o tema escolhido para esta edição, cumpriu-se uma tradição que apagou as velas dos 90 anos. Claro que não faltaram carros clássicos no glamoroso evento que tem a assinatura conjunta da BMW e do clássico hotel italiano. Mas a festa também foi do motociclismo e dos protótipos. Aconteceu entre 24 e 26 de maio e, sem surpresa, foi um espetáculo sem comparação.

Em 1929, pouco antes da "Quinta-feira Negra” em Wall Street, o mundo automóvel arregalava os olhos de espanto. Acontecia a primeira edição do Concorso d’Eleganza Villa d’Este, em Cernobbio, no norte da Itália. Na altura, o evento começou por ser essencialmente uma passarela para as marcas apresentarem os seus novos modelos de carros. Quem diria? Hoje, dos três circuitos mais conceituados de automóveis clássicos que existem, este é não só o mais antigo, como o único que tem palco no continente europeu. É assim, há 90 anos, que peças de arte, das mais distintas casas, exibem, com orgulho, os seus inigualáveis e raros chassis. BMW, Ferrari, Bentley, Alfa Romeo, Maserati, Aston Martin, Lamborghini são algumas das que se fazem representar. E no fim, depois dos votos do júri e do público, há sempre vencedores. Este ano, 50 bonitos e exclusivos clássicos estacionaram nas margens do Lago Como para se deixarem apreciar, divididos entre Villa d'Este e Villa Erba, duas magníficas propriedades. 
O lema desta edição exclusiva foi "A Sinfonia dos Motores”. Dos veículos pré-guerra aos carros de estrelas lendárias da música, como Elvis Presley, o espectro de históricos representou todas as grandes eras, desde 1925 até aos nossos dias. E para não destoar do ronco dos motores, até o céu, com chuva e trovoada, se fez ouvir em força. Mas nem isso parou a festa. Porque tradição é tradição. 
Depois do desfile, animadamente apresentado, os resultados foram anunciados com palmas. Os automóveis presentes a concurso estiveram distribuídos por oito categorias, mas o troféu mais emblemático é o "Best in Show”, e quer a Coppa d’Oro Villa d’Este (escolha do público), quer o Trofeo BMW Group (escolha do júri) foram unanimemente entregues ao Alfa Romeo, 8C 2900B, Berlinetta, Touring, de 1937. Já o Trofeo BMW Group Italia acabou aos pés do Lancia Astura Serie IV, Cabriolet, Pinin Farina, de 1938. No entanto, o show não apresentou só alguns dos maiores sucessos da história, mas também levantou o véu do que pode ser o futuro. Falamos da classe dos concept e protótipos, que também teve vencedor. E na categoria de Design Award o premiado foi o Bugatti La Voiture Noire, Coupé, deste ano. 
O grupo BMW, que desde 1999 se assumiu como mecenas do evento, aproveitou a ocasião para mostrar o seu BMW Garmisch Concept desenhado por Marcello Gandini e apresentado originalmente em 1970, no Salão Automóvel de Genebra, na altura, um tributo da Bertone à insígnia alemã. O exemplar foi reproduzido apenas com base nas poucas imagens da época, com a ajuda da memória do designer que o idealizou. Um veículo sem preço, ao contrário de outros cuja etiqueta é fácil consultar. Sendo que a maioria dos carros em exibição está próxima ou acima de 1 milhão de dólares. Tudo isto faz com que este evento seja uma das ocasiões mais esperadas pelos aficionados dos clássicos.

REDAÇÃO
T. REDAÇÃO
F. Direitos Reservados
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi