Trends
Paulo Lago de Carvalho

"O detalhe indefinido"

Paulo Lago de Carvalho

Opinião Anterior
Catarina Araújo

Magia ao estilo do mundo dos ‘hobbits’

Catarina Araújo

Próxima Opinião

Casa & Família

Paulo Mateus Pinto

CEO da La Redoute

Paulo Mateus Pinto
A correria do dia a dia foi bruscamente interrompida, sem que nada o fizesse prever. Até então, a normalidade dos nossos dias levava-nos a rotinas onde o trabalho, as redes sociais e o individualismo reinavam no nosso quotidiano. Estávamos focados na construção de um novo propósito de vida, de uma sociedade onde o ambiente e as novas tecnologias começavam a liderar as nossas preocupações, e, onde, o resto do tempo era dedicado às viagens e ao nosso bem-estar pessoal. 
Mas, de repente, o impensável e nunca visto aconteceu, longe de qualquer profecia. Um ‘vírus longínquo’, seguido com alguma curiosidade nos primeiros meses do ano, parava um país após o outro; um continente após o outro… até que, finalmente, parou o mundo, parou o ‘nosso mundo’.
De um dia para o outro tudo mudou. As nossas rotinas diárias, os nossos convívios e momentos de lazer… O nosso foco: sobreviver, à custa do confinamento. E eis que as nossas prioridades se desmoronaram como uma torre de cartas, a incerteza enfatizou uma nova perspetiva de vida, voltámos às nossas raízes, às saudades dos afetos daqueles que passámos a ver e a ouvir remotamente. Finalmente, passámos a viver em família de manhã, à tarde e à noite, sem correr, mais próximos e num só local: a nossa CASA. 
Para cada um de nós, à sua maneira, a casa passou a ser o centro do nosso universo: a nossa habitação, o nosso escritório, a escola dos nossos filhos, o nosso ginásio, o nosso restaurante e o nosso espaço verde. De repente, tudo se resume a um espaço limitado que aprendemos a valorizar, a adaptar, a otimizar e a cuidar. 
A arte de decorar um espaço ganhou subitamente uma importância acrescida. Rapidamente, tomamos consciência de que a forma como decoramos a casa, onde passamos todas as horas do nosso dia, influencia o nosso bem-estar e alegria. Naturalmente, também o propósito de alguns espaços evoluiu com o confinamento. A interação da Família com a casa passou a estar no centro das nossas prioridades. Esta é, agora, muito mais do que um porto de abrigo.
Neste período de confinamento alguns perderam muito, mas muitos ganharam uma nova consciência de prioridades. A forma como olhamos para a nossa casa é, hoje, diferente. A casa faz parte da nossa vida e acolhe o que temos de mais precioso: a Família. A aposta da La Redoute, no universo da CASA, consolida a razão da sua existência: «Trazer mais brilho à vida das famílias». 
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi